sexta-feira, 15 de Maio de 2009

ILUMINAÇÃO NAS CASA ANTIGAMENTE




A iluminação das casas era igualmente feita de forma artesanal e recorrendo a materiais disponíveis na ilha. Utilizava-se um azeite proveniente de origem animal, neste caso do cagarro ou da baleia, que colocado num recipiente de barro com um trapo fazendo de torcida, era aceso de forma a iluminar o que fosse preciso. Mais tarde, com a introdução do petróleo na ilha, a iluminação fazia-se com as chamadas grizetas ou lamparinas, que eram um grande avanço em termos da qualidade da iluminação, culminando tempos mais tarde, com as lanternas fechadas em vidro, mais conhecidas por petromax. Por mais primitivo que se possa achar, também se recorria frequentemente a tochas de madeira, acesas através de um sistema engenhoso e igualmente primitivo, que consistia na fricção de pedras (de origem estrangeira, provavelmente inglesa, deixadas cá por mercadores) com um pedaço de aço junto de um tubo com um pedaço de isca, proveniente do espigo da babosa, a obtenção do lume dava-se através das faíscas provocadas pela fricção que queimavam um mancho de urzes.Normalmente dentro das casas o lume estava sempre aceso, no entanto, quando este se apagava, fosse por que razão fosse, a mulher recorria ao lume da casa vizinha, usando uma colher de alumínio, onde trazia a preciosa brasa.
Informação retirada da AJISM

Sem comentários: